Cirurgias

Ureterorrenolitotripsia rígida e flexível

Ureterorrenolitotripsia rígida e flexível
Ureterorrenolitotripsia rígida e flexível

Ureteroscopia Rígida 

A ureterolitotripsia rígida é um procedimento para tratamento de cálculos renais através de laser.  O procedimento é feito sem cortes com acesso por meio da uretra. É utilizada uma câmera bastante fina, mas não permite realizar curvas, por isso sendo ureterolitotripsia rígida é indicada geralmente para tratamento de cálculos no ureter (canal que liga o rim a bexiga). Também é inserida uma fibra de laser que para destruir os cálculos.

 

Ureterolitotripsia Flexível 

A ureterorrenolitotripsia flexível é um procedimento cirúrgico para tratamento de cálculos renais por meio de fibra de laser. Durante a cirurgia uma câmera, fina e flexível é introduzida através da uretra, passa pela bexiga até alcançar o rim. Esse aparelho é controlado pelo cirurgião que consegue uma exploração minuciosa e completa do rim.

Após identificar os cálculos renais, uma fibra de laser é introduzida pelo equipamento e os cálculos renais são pulverizados.

É um procedimento simples em que o paciente recebe alta no mesmo dia.

A ureterolitotripsia (rígida e flexível) tem de 90 a 98% de chance de sucesso.

 

RTU de próstata / RTU bipolar de próstata

RTU de próstata / RTU bipolar de próstata
RTU de próstata / RTU bipolar de próstata

RTU próstata é um procedimento cirúrgico endoscópico para o tratamento da hiperplasia benigna da próstata. É a cirurgia mais utilizada para hiperplasia benigna de próstata (HBP) e com os resultados excelentes para quase 90%dos pacientes.

É um procedimento que não realiza incisão, sendo o acesso do ressectoscópio feito através da uretra. Através da câmera do aparelho o cirurgião consegue visualizar imagens de alta qualidade da próstata. O ressectoscópio usa corrente elétrica para remover o tecido interno da próstata.

 

RTU próstata bipolar

A RTU bipolar de próstata usa bisturi bipolar para a remoção da parte interna da próstata que está causando a obstrução urinária. Esta cirurgia utiliza a solução salina que promove menor chance de síndrome de absorção pós RTU, que pode causar aceleração de batimentos cardíacos, agitação, náuseas e vômitos.

 

Vaporização de próstata

Vaporização de próstata
Vaporização de próstata

É tratamento minimamente invasivo da Hiperplasia Prostática Benigna que tem se mostrado uma excelente alternativa para pacientes com próstatas de até 120-140 gramas.

O mecanismo utiliza o laser com alta energia e temperatura proporcionando a que vaporização da próstata de forma segura. É uma alternativa mais moderna e segura à RTU de próstata e a melhor opção para próstatas grandes.

 

Greenlight laser

Greenlight laser
Greenlight laser

É uma cirurgia minimamente invasiva para tratamento da hiperplasia prostática benigna, no qual se utiliza uma fibra de laser. Uma fonte de energia específica é conduzida através de fibras ópticas especiais, permitindo destruir o tecido em excesso da próstata e assim a obstrução com a próstata é desfeita. O procedimento é realizado pela introdução da fibra óptica pelo canal da uretra. É uma opção principalmente para próstatas de tamanho médio.

 

Prostatectomia radical e transvesical

Prostatectomia radical e transvesical
Prostatectomia radical e transvesical

Prostatectomia radical 

A prostatectomia radical é a cirurgia de tratamento do câncer de próstata que consiste na remoção da próstata e as vesículas seminais e, frequentemente, alguns nódulos linfáticos próximos.

Pode ser feita por cirurgia aberta, laparoscopia e robótica. A cirurgia aberta hoje é uma técnica menos empregada, devido ao tempo maior de hospitalização do paciente. A laparoscopia é feita com várias pequenas incisões pequenas por onde são inseridos instrumentos e um pequena câmera de vídeo que permite a visualização interna das estruturas. Esta técnica é menos invasiva, reduz complicações e tempo de recuperação pós-operatório.

 

Prostatectomia transvesical 

Na prostatectomia transvesical, o acesso a próstata é feito através de um corte próximo a interseção do colo da bexiga com a próstata. A prostatectomia transvesical pode ser realizada pela técnica aberta, laparoscópica e robótica.

Neste procedimento a capsula prostática é preservada assim como a zona periférica da glândula onde estão localizados a maioria dos tumores prostáticos.

 

Correção de hérnia inguinal

Correção de hérnia inguinal
Correção de hérnia inguinal

A cirurgia de hérnia inguinal pode ser realizada pela técnica aberta e laparoscópica. A técnica aberta é feita com um corte no abdome de aproximadamente 6 ou 7 cm, o conteúdo da hérnia é colocado para dentro do abdome e é fixada uma tela para evitar que a hérnia volte a se formar.

A cirurgia laparoscópica é realizada com um corte próximo ao umbigo por onde é introduzido uma câmera de vídeo e por outros dois pequenos cortes, o cirurgião consegue colocar uma tela entre o defeito e o músculo (por trás dele).

As vantagens da cirurgia inguinal laparoscópica são: menos dor pós-operatória, retorno mais célere às atividades habituais e maior satisfação do paciente.

 

Correção de varicocele

Correção de varicocele
Correção de varicocele

Existe dois métodos para o tratamento cirúrgico da varicocele: ligadura cirúrgica e embolizacão O procedimento cirúrgico pode ser realizado pelas vias retroperitoneal, inguinal, subinguinal ou laparoscópica. A embolizacão percutânea é realizada por oclusão da veia espermática interna.

 

Nefrolitotripsia percutânea

Nefrolitotripsia percutânea
Nefrolitotripsia percutânea

A nefrolitotripsia percutânea é uma cirurgia para retirada de cálculos renais maiores de 2 cm e sem indicação para cirurgia endoscópica flexível. O procedimento é realizado por meio de uma incisão de 1 cm na região dorsal, por onde é introduzido nefroscópio, aparelho com uma câmera que vai localizar o cálculo, fragmenta-lo e remover os fragmentos com pinças. Ao final do procedimento, geralmente é colocada uma sonda de nefrostomia, que permanece no paciente entre 1 e 7 dias. Também pode ser necessário o uso de um cateter duplo J, para impedir que coágulos ou fragmentos de cálculo obstruam o canal do ureter.

 

Correção de Peyronie

Correção de Peyronie
Correção de Peyronie

A cirurgia para correção de Peyronie é indicada para homens com incapacidade persistente e completa para alcançar a penetração decorrente da magnitude da curvatura peniana ou disfunção erétil, e que causa prejuízo na vida sexual do casal.

O principal método cirúrgico é a plicatura que consiste na realização de uma dobra do lado oposto à curvatura, encurtando assim o lado longo do pênis. Como vantagens temos a simplicidade, preservação da capacidade de ereção pré-operatória e alta satisfação do paciente.

 

Prótese peniana e testicular

Prótese peniana e testicular
Prótese peniana e testicular

Prótese peniana 

É indicada para tratamento da doença de Peyronie, disfunção erétil grave. Existem três tipos de próteses penianas: a inflável, a maleável ou semirrígida (mais comum no Brasil) e a articulável (pouco utilizada).

A cirurgia para a inserção da prótese peniana dura cerca de 1 hora e meia e é feito com raquianestesia e sedação ou anestesia geral. A colocação da prótese não interfere no prazer, nem na ejaculação ou orgasmo, já que os nervos responsáveis pela sensibilidade e ejaculação, não são comprometidos com a cirurgia.

Prótese testicular 

São indicadas para homens com testículos ausentes, atrofiados ou pequenos. Atualmente as próteses são produzidas com silicone cirúrgico, um material seguro e que proporciona uma aparência e consistência muito próxima de um testículo normal. A prótese testicular tem como função melhorar o bem estar psicológico e proporcionar mais qualidade de vida.

 

Nefrectomia

Nefrectomia
Nefrectomia

Nefrectomia é o procedimento cirúrgico de retirada de um dos rins para casos de câncer renal, perda da função renal e transplante do órgão. A nefrectomia pode ser parcial ou total. A nefrectomia parcial consiste na retirada apenas do tumor com preservação do órgão. É indicada para pacientes com tumores ou lesões pequenas ou localizadas na periferia do órgão. A nefrectomia total, por sua vez, consiste na retirada total do rim. As nefrectomias parcial e total podem ser feitas por via aberta, laparoscópica ou robótica.

 

RTU bexiga

RTU bexiga
RTU bexiga

RTU de bexiga é uma cirurgia para remoção de tumores da bexiga. Após anestesia geral ou raquianestesia, um ressectoscópio, instrumento óptico e cirúrgico é inserido pela uretra. Com o auxílio de uma câmera, o cirurgião consegue visualizar o tumor que é removido e cauterizado com eletrocautério. Após a cirurgia, é inserido um cateter na bexiga por 1-2 dias.

 

Orquidopexia/orquiectomia

Orquidopexia/orquiectomia
Orquidopexia/orquiectomia

Orquidopexia é a cirurgia de correção da criptorquidia, condição em que o testículo não desce até a bolsa testicular. Apesar de não causar sintomas a cirurgia deve ser realizada, pois a criptorquidia aumenta o risco de infertilidade na idade adulta e também é um fator de risco do câncer de testículo.

Essa cirurgia de orquidopexia é recomendada para meninos que ainda não completaram um ano de idade. É um procedimento simples e, geralmente, os pacientes não necessitam de internação, recebendo alta no mesmo dia.

 

Pieloplastia

Pieloplastia
Pieloplastia

A pieloplastia é um procedimento cirúrgico realizado para tratamento da estenose de JUP e, estreitamento da junção ureteropélvica (JUP) onde ocorre a união da pelve renal com o ureter. A pieloplastia geralmente, é indicada em casos de pacientes sintomáticos que apresentam alterações nos exames de imagem e laboratoriais.

Existem 3 opções cirúrgicas para a pieloplastia: aberta, via laparoscópica e robótico. A pieloplastia via laparoscópica, permite pós operatório mais breve, menos dolorido e com a taxa de sucesso equivalente a pieloplastia aberta.

 

Reimplante ureteral

Reimplante ureteral
Reimplante ureteral

O reimplante ureteral é uma das opções de procedimento cirúrgico disponível para o tratamento do refluxo vesicoureteral, condição que ocorre obstrução da parte final do ureter que pode desencadear alterações nas funções renais.

O reimplante ureteral pode ser realizado por cirurgia aberta, laparoscopia e cirurgia robótica.

A cirurgia aberta é o tipo de procedimento cirúrgico mais conhecido, mas que tem sido cada vez menos usado, devido ao pós operatório ser mais demorado e doloroso.

A cirurgia por laparoscopia é um procedimento minimamente invasivo, que utiliza pequenas incisões por onde são introduzidos equipamentos e uma câmera para guiar o urologista. Permite um pós operatório pouco dolorido, rápido e com taxas altas de sucesso.

 

Correção de hipospadia

Correção de hipospadia
Correção de hipospadia

Na hipospádia, a abertura da uretra do seu filho, por onde a urina sai, não está localizada na ponta do pênis, mas sim sob ele.

O único tratamento para a hipospádia é a cirurgia conhecida como uretroplastia, recomendada para ser realizada após os seis meses de vida e até os dois anos. A uretroplastia visa reconstruir um novo segmento de uretra.

 

Correção de hidrocele

Correção de hidrocele
Correção de hidrocele

O tratamento cirúrgico da hidrocele é a hidrocelectomia. Essa cirurgia é realizada a partir de um pequeno corte no escroto, no qual é drenado todo o líquido acumulado no testículo e tratamento da túnica do testículo para evitar recidiva da hidrocele.

 

Uretrotomia interna e uretroplastia

Uretrotomia interna e uretroplastia
Uretrotomia interna e uretroplastia

Uretrotomia interna 

A uretrotomia interna é o tratamento minimamente invasivo com indicações em casos restritos, principalmente em pacientes com estenoses curtas e apenas em algumas localizações da uretra.

 

Uretroplastia 

É um procedimento cirúrgico para correção do estreitamento ou estenose da uretra. Para estenoses curtas menores que 2 cm é indicada técnicas anastomóticas para remoção do segmento lesado e ligação dos topos. Nas estenoses mais longas pode ser necessário a substituição, parcial ou total, do segmento lesado através de enxerto.

 

Sling incontinência urinária

Sling incontinência urinária
Sling incontinência urinária

O slings é um procedimento minimamente invasivo no qual uma faixa de polipropileno auto-fixante e livre de tensão é inserida sob a uretra média por acesso via retropúbica, após anestesia geral. O sling auxilia na sustentação da uretra e reduz as perdas urinárias.

A técnica é indicada para todos os tipos de incontinência urinária de esforço, principalmente nos casos de defeito esfincteriano e de falha do tratamento comportamental e fisioterápico.

 

Dr. Breiner Ferro

CRM: 18039   RQE: 13848/ 13464

  • Urologista
  • Residência Médica em Cirurgia Geral pela Universidade de Brasília;
  • Especialista em Urologia pelo Hospital Geral de Goiânia;
  • Laparoscopia urológica para residentes no IRCAD América Latina/SBU;
  • Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU).

 

Atendimento: 

Hospital São Silvestre

Av. das Nações Nº 616, Centro, Aparecida de Goiânia, Go.

Telefone: (62) 3283-3201 / 3230-2000 / 3283-2419

WhatsApp: (62) 3283-2419

Botão Voltar ao topo
Ligue: (62) 3283-2419